Vida de fotógrafo é assim…

Dias a fio, horas sem comer, suor frio, trabalho duro, cliente difícil, sem diversão, jogo de cintura, muita pressão….  Há quem pense que fotografar é luxúria, glamour, ou até mesmo azaração…

É entre uma campanha, nos dias tranqüilos, que paramos para pensar, ir além… Explorar e descobrir aquela luz diferente, mais suave, que sempre conquistou a gente e nunca conseguimos fazer…

Por estes motivos que a fotografia une pessoas, não só no ato de fotografar, mas também de criar, não só a pose, o cenário, mas o que irá modificar nossa forma de escrita (luz) crua em algo bonito, diferente, registrado, próprio…

Afinal, a foto (luz) grafia (escrita), é escrita por cada fotógrafo de formas diferentes… uns inclinam a luz mais pra cá, outros viram para o teto, alguns direcionam num ponto específico, outros iluminam toda a cena…

Foi entre essas e outras circunstâncias que busquei nos objetos que já existem uma fonte de inspiração para confeccionar novos acessórios e modificar a luz, deixando meu trabalho diferente, pelo menos para mim, do meu jeito…

Numa luminária residencial, num vaso de flores ou num refletor industrial, descobri diversas formas de melhorar e diferenciar o que vinha sendo padronizado… É economizando, fazendo amizades, adaptando, que descubro novas formas, novas luzes e maneiras de mostrar os volumes que desejo ressaltar…

Aqui vão como forma de compartilhamento algumas das criações que desenvolvi, refletores adaptados para os flashs da marca Hensel, flashs alemães que utilizo atualmente… Dois deles foram criados, inspirados nos refletores portrait, mais conhecidos como refletores de retratos, já o outro criado baseado num concentrador de luz…

Apresento a vocês, de forma crua, sem pintura e acabamento a mini “família” que criei e logo será pintada e acabada da forma que imaginei desde o princípio…

Espero contagiar mais pessoas para que experimentamos e buscamos novas formas de criar e iluminar da melhor forma o que desejamos…

Grande abraço,
Cezär Motta.

Leave a Reply